sábado, 6 de abril de 2013

Quando o câncer vem nos visitar...

Se há algo no mundo que eu odeio é o câncer. Eu não consigo entender porque ele tem que ser tão cruel com quem amamos, não consigo imaginar porque ele se acha no direito de entrar em nossas vidas e nos dilacerar aos poucos. Em todo seu apogeu de crueldade acho que ele tem prazer em ver suas vítimas morrendo aos pouquinhos, sofrendo ao montes, sentindo a dor com conta gotas, sentindo a morte vindo de trem. Eu jamais o entenderei.
 Nos nossos dias é comum ver gente que morreu de câncer, ou quem tem câncer ou que tá morrendo com câncer.  Meu pai tem câncer, muito embora ele seja discreto quanto a isso ele sofre os efeitos dessa maldita. Somos dois grandes desconhecidos, meu pai é meu tudo na base do meu nada, ele é meu mais difícil relacionamento,  meu menino teimoso, meu homem inconsequente. Há anos ele tem leucemia, e luta bravamente contra ela, as vezes a luta consiste em simplesmente ignorá-la, fazer de conta que não existe, fingir que ela nunca surgiu. Ás vezes a luta e o tratamento envolvem uma vida desregrada com direito a trabalho excessivo, noites mal dormidas e uma dose de bebida alcoólica. Há aproximadamente 1 ano a esposa ( que não era tão esposa assim) dele faleceu, o motivo : Câncer. A doença nela foi mais certeira, mais abusiva, não demorou muito a descobrir e não resistiu , os pulmões foram fracos diante de tamanha crueldade com o corpo. Eu nunca tive convívio com meu pai, mas imagino que ao ver a sua esposa morrer de uma forma tão rápida deve ter batido nele um grande desespero, uma forte agonia, uma enorme tristeza ao perceber sua fragilidade diante da doença. Quem é o câncer pra ser tão cruel com quem amamos? A luta dele continua...Ele é forte, é o mais forte que já vi!!!
Há aproximadamente 7 meses uma antiga colega de classe no ensino médio, começou a sentir fortes dores nas costas, exames foram feitos e a descoberta cruel surgiu, ela estava com câncer em uma das vértebras da coluna. A luta se iniciou, as mensagens de conforto, carinho, ânimo e incentivo eram constantes em sua pagina na rede social. De longe eu acompanhei os movimentos, sempre perguntava pra um ou outro amigo mais chegado dela como era sua situação. Há mais ou menos 3 semanas alguns amigos em comun começaram a pedir doação de sangue pra ela, precisa urgentemente e o hospital não tinha. Daqui da cidade onde estou, contactei minha rede de amigos lá em Minas, fizemos orações, fizeram doações, e ela conseguiu fazer a transfusão. Não teve jeito, tarde demais, eu já havia me envolvido, consegui o telefone dela, liguei e conversei rapidamente tentando não mostrar minha tristeza e angústia, falei com a mãe dela e na voz notava-se a força tirada da fé, a Ruana tava triste, dizia não suportar mais dormir e acordar entre quatro paredes brancas, comer aquela comida de hospital,  disse não suportar mais e afirmou que não tinha mais forças e não conseguiria prosseguir. Naquele momento eu fiquei desesperada, quer pior do que escutar isso? Quer pior do que ver alguém tão jovem quanto você dizer que a morte é alívio? Ainda faltam 6 quiomios pra ela terminar o tratamento, o que dá 4 meses quase, isso é se tudo correr bem. A Ruana que tinha um cabelo lindo e incrível tá careca. É fácil?
Hoje achei uma história linda, comovente e triste na internet é de uma casal, onde a esposa descobriu estar com câncer, um casal que foi se perdendo aos poucos, a medida que o câncer nasceu ela foi morrendo, o câncer aparecendo e ela se desfazendo.... O marido dela fez um blog onde conta toda essa história, tá tudo em inglês, mas dá pra traduzir a página, ou quem preferir dá pra acompanhar a história em fotos. O nome do espaço é A luta da minha esposa contra o câncer o link é este ó. Fotos tristes e marcantes, fotos do câncer. 



"A gente fica ali, meio assim, assim; procura sobreviver, sem entender o que está acontecendo. Tem alguém morrendo e o mundo inteiro parece não se importar. Ninguém olha e quem olha não quer olhar, vira a cara pro outro lado.
É morte, que falta de sorte!
É o fim!
Espetáculo triste, o fim." Livro Enquanto houver vida viverei. Autor Júlio Emílio Braz e à editora FTD.









Ósculos e amplexos





ps: Eu jamais permitirei que um tumor qualquer tire de mim o meu pai, eu jamais aceitarei que ele se ache no direito de ter e tomar para si a pessoa que eu mais lutei a vida toda para ter. Sinto muito seu ordinário câncer mas o meu pai é MEU!!!







2 comentários:

  1. OLÁ QUERIDA, EU ENTENDO E DIGO ESTOU PASSANDO POR TUDO ISSO COM MINHA MÃE, NÃO ESTÁ SENDO FÁCIL, VÊ-LA DEFINHAR A CADA DIA. qUANTA DOR QUERIDA, QUANTA DOR. cOMPARTILHO CONTIDO ESTA DOR.
    OLHA FUI NO BLOG DO AMIGO, MAS MEU COMPUTADOR NÃO TRADUZIU, NÃO PUDE ACOMPANHAR NADA. tENHAS UMA NOITE ABENÇOADA E BEIJINHOS PARA TI QUERIDA.

    ResponderExcluir

Escrevinha comigo!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...